Site de Poesias

Menu

Agonia


Só agora me dei conta

Sequei as lágrimas

Como quem abre uma cortina

Cortina da existência

Cortina da demência

Cortina da vida

O espetáculo está acabando

O público e as forças

Estão me abandonando

O ato acabou

O tempo passou

A vida fugiu

O sonho terminou

Viver de lembranças é o fado

Esquecer esperanças é a sina

Por que só agora vi?

Por que só agora aprendi?

Dura pena

Intenso castigo

Insano flagelo

O que só o tempo

Implacável tempo

Demente tempo

Num repente

Me vem à mente

Insensível passado

Triste presente

Me mostra

Me acorda

Me ensina

Me recorda

Das relações perdidas

Das emoções esquecidas

Das pessoas feridas

Pelo orgulho

Pela falta de amor

Pela soberba

Pelo ganho

Pela perda

O que fiz por mim?

O que fiz de mim?

O que fiz da minha vida?

O que será de mim?

Agora, hoje

Cabisbaixo

Rejeitado

Resoluto

Deixo o palco

Fecho o teatro

Abandono o mundo

Deixo a vida...

 

28/03/2007

14:11

Compartilhar
Jefferson Dieckmann
02/06/2009

  • 3 comentários
  • 505 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados