Site de Poesias

Menu

Garoto Coração Partido

 
Estou tentando pegar a minha estrada
Seguir um caminho que é tortuoso
Porém é o meu caminho... Só meu...
E você está dizendo que é um exagero
Pode até ser, mas pela primeira vez
Eu estou fazendo apenas o que quero no momento
Sem vozes externas, sem a tua opinião
Se eu tivesse metade da sua frieza
Teria evitado 100% das minhas dores
Eu, que sempre me apego demais
Eu, que sempre fico na espera
Mas agora não!!!
Eu não quero ser o que chora no final
Eu não posso ser isso de novo
Então eu vou sair dessa antes
Que tudo desabe sob a minha cabeça novamente...
Eu não quero ser o menino que chora,
O que pede e implora
E você diz que isto é um engano
Um disfarce louco que arrumei
Para tentar me curar
Do que na verdade não existe
Então eu repito e te digo
Deixe-me ir com todos os meus erros
E se não der certo
Não será novidade na minha vida
E se não der certo eu me lembrarei
De tudo isso que está me dizendo agora
Mas o meu sentimento pede isso
E pela primeira vez
Eu vou me arriscar a ser feliz sozinho
Eu não posso repetir a história
Do menino que chora no fim
Sentindo tudo se perder na imensidão
De todas as suas quimeras...
Eu só quero que você entenda
Que eu pago o prejuízo do amor
Mas desta vez vou ganhar ou perder
Apenas com meus méritos e deméritos
Me dói dizer e saber
Que no final do dia
Eu não mais estarei aqui
E por tudo que já perdi
E por todas que já chorei
Eu não vou voltar atrás nessa decisão
Eu não quero chorar no final
Certa vez eu tive medo de te dizer
Porque você poderia ir embora
Mas esse medo se dissipou
No meio de toda a sua indiferença
E agora quem pede para sair
É exatamente quem pagou alto para entrar
E seu eu tivesse sido
Um pouco mais frio
Eu não teria passado por nada disso
Se eu fosse metade do que você é...
Eu não posso seguir apenas para ver
O fim trágico de todos os meus romances
Desta vez eu não posso ser
O garoto coração partido...

Compartilhar
Wal Cardoso
15/02/2009

  • 0 comentários
  • 104 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados