Site de Poesias

Menu

Desculpas

 
Sei que te magoei
Com as ofensas citadas
E tantas vezes eu pensei
Que isto não te afetava
Sei que de tudo que digo
Muitas coisas você ignorou
Manteve seu sorriso amigo
Mesmo quando não gostou
Mãe, mil desculpas eu te peço
Pelo meu jeito
Tantas vezes imperfeito
Eu mesmo confesso
Jamais teria o direito
De te fazer chorar
E este foi o maior defeito
E eu nunca vou me perdoar
Dos abraços que até hoje senti
Nenhum é igual ao teu
E dos maiores amores que vivi
Nenhum chegou perto do que você me deu
A vida, a tranqüilidade depois dos pesadelos
O seu aperto, carinho
E não quero perdê-los
Não me deixe sozinho
A dor de ver você sofrendo
Por besteiras que falei
Coisas que estão me fazendo
Me arrepender do que nunca pensei
Não existe pecado maior
Que  fazer chorar
Alguém que sempre esteve ao redor
Mesmo quando não podia estar
Mas eu já conversei
Com o Deus que do céu me ver
E para Ele eu implorei
Que me faça esquecer
Daquela noite de outubro
De inverno impróprio
Em que eu devia ter ficado mudo
E tentado ser um pouco mais sóbrio
Não tenho o que argumentar
Só o tempo vai me dizer
Se das coisas que estive a falar
Você conseguirá esquecer

Compartilhar
Wal Cardoso
04/02/2009

  • 1 comentário
  • 109 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados