Site de Poesias

Menu

Universo

depois de ajoelhado
engolir a lua
“infinita escuridão
infinita sob o nariz”
 
caio sob a relva úmida
que única
umedece o universo
em minhas mãos


Compartilhar

Tibagi

Silvio Prado
23/01/2009