Site de Poesias

Menu

O que os seus olhos observam

[Ilustração não carregada]

Seja você quem for

quando lançar sobre mim o seu olhar

não antecipe os juízos de valor

não despeje sobre mim

suas críticas meteoríticas

ou o ignóbil sentimento de piedade

 

Remova a máscara que camufla o seu observar

Veja-me com os olhos de quem busca o amor

Com a persistente intensidade do sol rutilante

Que penetra a linha do horizonte

 

Veja-me com os olhos de quem busca compreender

lembra que é míope o seu olhar

não é sem  tropeços o seu caminhar

há nuvens de areia sobre o seu sorriso

nas paredes do seu interior

há rachadura, enorme friso

 

O que você conhece a meu respeito ?

Se me conhecesse profundamente

seria sábio e não me julgaria

se conhecesse plenamente a si próprio

seria iluminado e somente para si mesmo olharia

 

 

                                                Úrsula A. Vairo Maia *

 

* Respeite os direitos autorais- ESTA POESIA ESTÁ REGISTRADA NA BIBLIOTECA NACIONAL NO NOME DA AUTORA. SE FIZER USO DELA PRESERVE A AUTORIA. EVITE CONSTRANGIMENTOS.

 

 

 

OBS : Os quatro últimos versos foram inspirados na frase do personagem principal de um filme " Um monge á prova de balas " , que diz assim - " conhecer os outros é ser sábio ; conhecer a si mesmo é ser iluminado " .

 

 

 

 

Compartilhar

Queridos amigos do site e visitantes, escrevi este poema em Agosto deste ano quando refletia sobre a questão do preconceito e juízos de valor, inerentes a cada um de nós seres humanos. Nesta época de final de ano, em que as pessoas se propõe a refletirem mais sobre si mesmas, deixo esta mensagem para que possamos pensar mais sobre como nós olhamos para as pessoas e como podemos filtrar nossos pensamentos , sentimentos, valores e percepções para ferirmos menos aos outros e a nós mesmos. Um abraço carinhoso a todos com os votos de boas festas e um ano novo repleto de realizações. Em meu cantinho


23/12/2008