Site de Poesias

Menu

200 Km/h-Da liberdade ao suicídio

[Ilustração não carregada]

 
O ritmo era intenso
Cada km uma emoção
Quanto mais rápido o velocímetro
Mais batia o coração
 
Sentia o vento em meu rosto
A sensação de liberdade
Não temia o perigo
Queria mais velocidade
 
Em um segundo o deslize
Uma perda de atenção
Não consegui evitar
Uma forte colisão
 
Estava perdendo meus sentidos
O sangue em minha garganta sufocava
Tentei ficar acordado
Minha mente me abandonava
 
Com meu sangue,o asfalto tatuei
Essa mancha nunca mais se apagou
A pista que me libertava
Foi a mesma que minha vida tirou

Compartilhar
Renato Alves
14/12/2008

  • 1 comentário
  • 417 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados