NECESSITUDES XII

NECESSITUDES XII

(Sexteto em quatro trovas)

Meu coração bate feito um louco,
Quando tu passas perto de mim.
Com esse teu jeito de menina-moça,
Cheirando a flor de jasmim.
Aumentando o meu desejo,
De dar-te um longo beijo;
Desses de tirar-te o fôlego;
De deixar os olhos brilhando;
Como fogo inflamando;
No cume de um vulcão,
Com o ar se misturando.

É como se tu fosses o vento,
Soprando o quente do verão.
E esse teu jeito de menina-moça,
Com um corpo em evolução.
Capaz de encher os olhos dos homens;
Deixar suas carne com fome;
A boca salivando desejos;
De dar-te um longo beijo;
Com o corpo quente se inflamando;
De calor se embrasando;
Tipo cume de vulcão.

Sei que não tenho direitos,
A não ser de te olhar.
Mas esse teu jeito de menina-moça,
Como um onda no mar.
Já despertou em mim uma paixão;
Fez ferver meu coração;
Fazendo-me te desejar.
inflamando mais esse desejo;
De dar-te um longo beijo;
Recheado de prazer;
E brilho no meu olhar.

É por isso que meu coração
Bate como louco disparado.
Quando tu te chegas mais perto;
Ou te pego me olhando.
Pois eu fico a imaginar;
O que tu estas a pensar;
Do teu jeito me fitando.
Porém vou contar-te um segredo;
Fico morrendo de medo;
De ter a tua atenção;
E nada saber te falar.

Poesia: Luiz Pereira
Foto: Imagem de dominio publico:
Site: http://www.fotoplatforma.pl/
 

Algumas pessoas possuem o dom de falar de amor com atos, outras, com palavras em oratórias, outras com presentes e outras como eu, com palavras escritas. Cada uma das poesias que escrevo tem um significado especial, pois coloco meu coração cheio de luz, amor e beleza em primeiro lugar.

Esse poema é mais uma prova de amor para minha esposa que é todo o meu sentimento.
LUIZ PEREIRA DA COSTA
© Todos os direitos reservados