Site de Poesias

Menu

Noite

[Ilustração não carregada]

 

 

Noite


Lá vem a noite, que sequestra a claridade
nos impondo a escuridão.
Que sossega tantos sonhos num manto de saudade,
soluços e mansidão.

Noite que se apaixona, na penumbra dos amantes,
no fascínio do brilhar.
Que não vê, mas insinua, uma poesia nua
brincando no seio lunar.

Quantas faces ela tem no semblante ofuscado,
no véu da rua vazia,?
Que sem piedade anuncia a tristeza adocicada,
em dolorosa alegria.

Noite das vozes roucas que engasgam solidão,
no pranto de ébrias canções.
Dos sonos aprisionados, dos olhos arregalados
em retratos de ilusões.

O que te faz tão minha, neste assombro turvo
de beleza e atração?
São teus segredos guardados, junto aos meus predestinados
na busca da inspiração...

 

 

* Charlyane Mirielle *


 

Compartilhar

Poesia On Line
04/11/2008 Porto Alegre 05/11/2008

Charlyane Mirielle
05/11/2008