Site de Poesias

Menu

Partida E Dolorosa


Ela se senta na janela e observa a Lua cobrir seu rosto.
Ela só observa, a Boneca com Coração Pulsante.
Ela balança o pé no rítmo da melodia que o piano grita.

Ela sapateia ao que sente o vento lhe tocar os cabelos.
Ela só escuta, a Boneca com Coração sangrento.
Ela pede para sua torre um coração de papel.

- Eu nunca sonho.

Um sussurro que escapou de seus lábios vermelhos.
Um piscar que fez seus olhos de botões.

- Eu sou sua Boneca.

Ela se machuca no precipício de sua Torre.
Ela só sangra, a Boneca com Coração partido.
Ela implora por lágrimas cristalinas.

Ela cai no chão de pedra que a rodeia a todo instante.
Ela só espera, a Boneca com Coração doloroso.
Ela grita porque ela já cansou de ser a Boneca da Estante quando pode ser a Boneca do Lixo.


Ela se sentou, observou e se balançou ao que sentia cada amor em seu Coração Pulsante.
Ela sapateou, estutou e pediu para ser a mais bela da estante em seu Coração Sangrento
Ela se machucou, sangrou e implorou para parar de sentir aquilo que chamam de dor em seu Coração Doloroso.
Ela caiu, esperou e gritou enquanto via o seu lado interior ser jogado no Lixo.

A Boneca Dolorosa permanece na estante, quieta, chorosa por sentimentos de gente.
A Boneca Partida permanece no lixo, risonha, alegre por ter saído da sua vida de falsas belezas.

- Eu sou a Boneca de sua estante, mas eu também sou a Boneca de seu lixo emocional.

 

 

 

 

A Boneca Dolorosa e a Boneca Partida.

Compartilhar

28/10/2008

  • 1 comentário
  • 148 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados