Site de Poesias

Menu

Canteiro de reflexões

[Ilustração não carregada]

Retumba nas paredes calejadas do meu interior

A voz cavernosa dos meus pensamentos

Aquilo que não produziria eco em outro lugar algum

Se aloja na trilha por onde correm meus sentimentos

 

O enfado da minha tez em dissabor

Alarma em mim a saudade de ti, meu cândido amor

No meu fecundo canteiro de reflexões

Florescem sensações arejadas

Por lembranças imanentes

 

 

Haverá cura para meus aleijões ?

Há em mim suspiros atados

A sonhos entorpecentes

 

 

Na varanda das minhas emoções

Alguns desejos bailam vestidos de areia

Outros, pespontados de luz

Resistem á ventania das lamentações

Ou se transformam em sereia

E mergulham no oceano plácido

Das minhas encobertas paixões

 

                          * Úrsula de Almeida Vairo Maia*

 

Mantenha a autoria do poema

Compartilhar

Agradeço o privilégio da sua visita em meu cantinho. Sua presença me alegra e me motiva a escrever cada vez mais. Um abraço amigo a todos que por aqui passam.


25/10/2008