Site de Poesias

Menu

A noite

[Ilustração não carregada]

 
A noite caiu sobre o meu sossego;
Fria e quêda, colocou suas mãos sobre mim,
Brisa ligeira bateu, sono chegou forte...

 
No meio da noite vi, através das estrelas,
Tantas almas que buscam ajuda para seus
Desassossegos, suas desesperanças...

 
Sono bom... Cama macia...
Importa-me se aquele menino sujo,
Que vi sentado na calçada,
Terá onde dormir?

 
A noite cobre meus olhos, para mais um dia
Esquecer-me da fome estampada no rosto
Daquele que passou em minha porta;
A quem neguei o que comer!

 
A noite caiu sobre meu sossego...
Doeram meus ossos com minhas preocupações.
Uma canção romântica embala
Meu namoro sério com minha solidão...

 
Tantas barrigas vazias foram dormir nessa noite.
A noite é eterna e sem fim a partir de agora para alguns ...
Quem salvará, na noite, aquela menina ingênua,
Que irá revelar seus segredos para qualquer um?
Ou aquele menino, de entorpecer seus sonhos
E destruir sua vida numa fumaça?

 
Na noite fria, o metal atravessa algum peito, sem testemunhas...
Encobre alguém a fugir, que leva, nas mãos, o suor do próximo...
Alguém se torna pai ou mãe, direto dos brinquedos,
Para a vida adulta...
Quantos, na noite, escorrem, ralo abaixo,
Sem chance de ver a vida! ...

 
... ... ...

 
Meu Deus... !
Penso em tais coisas com a mesma preocupação
Dos poderosos...
Rolo meu corpo, alimentado e aconchegado, para o lado
E durmo...

 
Amanhã eu tenho muita coisa para fazer! .

Compartilhar
Elias Beraldo da Silva
20/10/2008

  • 1 comentário
  • 423 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados