CIÚMES

CIÚMES

Venho anunciar nosso término
Só por não suportar seu ciúme
Não poderia deixar impune
Meu sofrimento, desde menino

Na infância tinhas ciúmes da professora
Nada podia perguntar
Surgiam dúvidas
Até hoje não pude questionar
Nada consegui mudar

Lembro-me da telefonista
Mesmo nunca ter visto
Só por telefone
Só agradecia a ajuda
Nem sabia nome
Tinhas ciúmes da voz

Na rua não podia olhar para os lados
Quando cumprimentava queria saber quem é
O nunca dei razão
O pior que isso me contamina
Acabo agindo da mesma forma

Mas a pior insegurança é da vida
Agora vivo isolado da multidão
Não tenho mais amigos
Nem atenção

Sofri com seu trauma infância
Que arrependimento
Nem posso fugir
Agora sou um ancião

De muletas, fraldas e fraquezas
Feridas na mão
Socos ponta de faca
Em vão

NOVA FRIBURGO - RJ