Site de Poesias

Menu

Meu doce amor

A ti, novo e doce amor não serei eterno.
Pois o prazer de não te possuir
Me será de bom grado, destinado a ti.
Por saberes enfim, que não serei tua.
 
A ti, meu doce amor, me entregarei
Sob o cuidado da nova esperança nascida
Por dois corações infantis e livres
De um doce amor que sonhei viver.
 
Oh jovem linda de coração puro e sincero,
Sonhaste com o amor verdadeiro
O doce amor que por tanto tempo,
Não reinava no teu coração.

Em laça-me com o teu amor,
Enlouqueça-me com a tua ternura.
Pois assim se tornaremos loucos, apaixonados,
Amantes desvairados Para todo sempre.

Por. Sophia de La Boétie & Marcelo Bastos.

Compartilhar
Marcelo Bastos
31/08/2008

  • 0 comentários
  • 102 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados