Site de Poesias

Menu

“Você não sabe”- Soneto

[Ilustração não carregada]

“Você não sabe”

Você não sabe da saudade que sinto.
Do desassossego, das noites insones.
Da febre e delírio por desejar - te tanto
De dormir e acordar chamando teu nome

Você não sabe que nesse silêncio adormeço
E viajo em falsos sonhos fugindo de mim
Tentando resgatar talvez nosso começo.
Na tentativa de adiar o inevitável fim.

Você não sabe da necessidade selvagem e louca
De sentir pra sempre o gosto da tua boca.
De abraçar-te nas noites frias de inverno.

Você não sabe do fascínio que ainda existe.
E do desejo ardente, insano que persiste.
De adormecer nesse abraço quente e terno. 

Glória Salles

Compartilhar

Obrigada pelo carinho de sua visita.
E por manter a autoria do poema.

Gloria Salles
17/07/2008