Insensato Amor

Insensato Amor

 
Insensato Amor
 
De olhos fechados deliro. Ardentia.
Atirei-me contigo no abismo.
Insensato amor me consumia.
Turvei-me em doses de otimismo.
 
Subjugada pela ilusão,
Ofereci-te todo o meu brilho
E caí em ebulição,
Desnorteada como o andarilho.
 
Sem palavras te prometi
Ser teu amanhecer maduro.
Nada esperei. Nada exigi.
Desmoronei no canto escuro.
 
Seguiste com indiferença.
Enovelei-me nas carências
Da minha reconvalescença,
Escondida das envolvências.
 
Mardilê Friedrich Fabre
 
Puiblicado no Recanto das Letras
Código do Texto: T1058815
 

Mardilê Friedrich Fabre
© Todos os direitos reservados