Site de Poesias

Menu

Súplica de um verme

Senhor Deus nosso pai, pesso perdão a ti
Não sei porque, nem como
um verme feito eu, que merece rastejar na lama
foi se apaixonar por criatura tão bela e dizer que a ama
só que pra minha desgraça, esta mulher tem dono...
e é o melhor amigo meu, que sempre convivi

Senhor Deus e pai, perdoe este pobre verme
Deveria eu estar devorando um defunto
Não atrevendo-me a expor-te este assunto
Que só ao diabo concerne

Mas até a alma feito a minha, de todas a mais impura
Não pode resistir a beleza de tal criatura
Fizeste-a de tal formosura e encanto
Que quando a vejo, mal posso conter meu pranto
De todas a mais bela e de alma mais pura

Lhe peço agora, Santo Pai, tenha compaixão
Abrevie esta pobre vida, fadada a viver na solidão
Não consigo ve-la, em outros braços
Te peço, abrevia nesta terra os meus passos
Preú esconder este amor, no mais fundo caixão

Quem sabe depois de mil anos, eu já perfeito
Naum vá doer tanto vê-la tão linda e radiante
E poderá passar essa dor que rasga meu peito
Que agora me faz um verme falante

Compartilhar

Minha poesia não é muito comum o estilo, confesso
mas gosto de fazer poesias diferentes !!
por favor me perdoem, se nao gostarem muito deste estilo Natal -RN

Jose Carlos Pauxis Costa
24/02/2005

  • 0 comentários
  • 98 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados