Site de Poesias

Menu

"Renda-se"- Soneto

[Ilustração não carregada]

“Renda-se"

Entre sonhos, meu coração quieto repousa.
A lua me absorve com seu prateado manto
Com magia, sedução, envolvente dança
Etérea, derrama lentamente seu encanto.

Então, arde uma fogueira dentro em mim
Nem a cálida noite pode apaziguar
É fogo que lambe e consome a lucidez
Rasga-me o peito, alucina, faz delirar.

No exílio da nossa varanda eu espero
Porque quero os sabores que sonhamos
E o sonho espesso que acalentamos

Nesse santuário de amor, hoje quero.
Extrapolar os limites , ser-te só oferenda. 
Ver-te livre, render-se as minhas rendas.
 

Gloria Salles
Maio / 2008

Compartilhar

Obrigada pelo carinho de sua visita.
Venha quando quiser, esse cantinho é seu também.

Bjo,bjo.

Gloria Salles
19/05/2008