Site de Poesias

Menu

Canção para a minha alma...


Há tanto tempo eu olho para mim e não me encontro.
Há tanto tempo anseio reencontrar minha alma...
Por onde andas? Ó minha alma!
Por onde andam os teus caminhos, que não encontro mais...

Olha para mim, ó minha alma!
Não te desvies dos longos desertos dos meus dias.
Olha para mim, ó minha alma!
Não hesites ante a solidão do meu adeus.

Aconchega-te a mim, sem nenhum propósito...
Apenas deixa-me sentir tua doce presença ...
Aconchega-te a mim, ó minha alma!
Andarilha de noites que não conhecem dia...

Derrama sobre a solidão do meu olhar o teu silêncio...
Contempla em mim a solitária canção dos que partiram.
Mas, ó minha alma, tu que nada tens além de amargura...
Tens também a mim por tua sepultura...

Silenciosamente... em ti eu anoiteço...
Embriagado da dolorosa porção de tudo o que não sei...
Contempla em meu olhar a solidão das coisas,
E adormece em mim o tom dessa ternura ...

Ó minha alma! Imensidão do meu desconhecido....
Quantas noites o meu olhar em ti adormeceu...
Acolhe, na distante ausência dos teus braços,
O sonho do meu sono que o tempo já esqueceu....

RCalmon

Compartilhar

BSB - Maio 2008.

Ricardo Calmon
14/05/2008

  • 1 comentário
  • 431 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados