Site de Poesias

Menu

Medo da noite

Medo da noite
 
 
o sol vai se pondo , recolhe seus raios como alguém que já cumpriu seu papel.
A sombra da noite vai lentamente se apossando de tudo.
Expulsa a luz, com a força do seu manto negro.
Seus raios vão se recolhendo, como um camelô que recolhe sua barraca na calçada.
Já cumpriu seu papel, já “ ganhou “ o seu dia .
Em fração de segundos, tudo se transforma, a  flor já não pode ser admirada ,
A cachoeira já não pode ser desfrutada, a abelha deixará de produzir o mel ,
O passaro, por um momento não cantará, e nem se poderá amar o azul do céu.
Já não se enxerga mais ao longe, nossos passos  tornam se inseguros .
O maravilhoso poder da visão, agora encontra um inimigo mais poderoso, a escuridão.
 
Quando a noite chega,algo acontece dentro das maioria das  pessoas .
A segurança do dia , dá lugar a apreensão , a desconfiança ,a preocupação
Os olhos se tornam mais vigilantes, as janelas se fecham, tranca-se o portão.
Os passos são mais apressados, agora é preciso dobrar a atenção .
Ela chegou, por muitas horas  reinará , ainda que traga com sigo estrelas,
E  um lindo luar , não deixará de ser escuridão , de ser medo , de ser noite .
 
Não , não é como nos filmes . O véu negro não traz com ele fantasmas,
bruxas , mortos-vivos  ,vampiros , espíritos que arrastam correntes pela
noite adentro, personagens fictícios  que se alimentam  da escuridão.
Mas ela tem seus donos .
Ela é dos ratos,dos morcegos,dos lobos , dos traficantes,das cobras, das
prostitutas , das arranhas , dos travestis , dos escorpiões , Dos viciados ,
das jogatinas  , dos feiticeiros , do ladrão .
 
Sim, é  na noite que os marginais se sentem protegidos .
É na noite que as prostitutas, travestis, exercem seus domínios.
É na noite que os jovens destroem suas vidas, no circulo vicioso das drogas.
É na noite que se embriagam.
E é na noite, que embriagados e drogados, voam em seus carros, cruzando
o sinal vermelho , subindo nas calçadas , matando inocentes
È o mau quem toma os volantes nos rachas, quem empina a moto.
É na noite que as garotas se entregam a devassidão, gerando filhos  indesejados .
É na noite que os rapazes “bonzinhos” torna-se queimadores de índios e indigentes.
É na noite que o marginal se sente seguro, e espreita sua próxima vitima .
É na solidão da noite, que os pais sofrem, esperando que seus filhos entrem porta adentro ,
e então possam dormir .
È na escuridão da noite que o mau parece reinar absoluto , seguro ,livre
se arrasta como uma serpente venenosa, a procura da próxima vitima .
esgueira-se, por entre ruas ,becos , boates, praças, baladas , motéis , shows
Vaga pelas sombras, hipnotizando suas preza, subornando-as com prazeres.
 
 
 
O homem experiente  respeita  a noite , como o domador respeita a fera .
Porem o jovem a desafia , a subestima .
Faz com ela um pacto de delírios , risos e curtição .
Se tornam íntimos, apaixonados , anseia por ela , como a sentinela anseia pelo dia .
Faz da noite seu prazer, sua vida , sua alegria .
 
Mas, pelo  vigor  da juventude  desconhece, que por seus prazeres, a noite cobra um preço.
E como o “ barqueiro, mercador da morte “ , ela esta sempre pronta a levá-los  ao outro
lado do rio ,mas , sem nenhum compromisso em trazê-los de volta .
A noite tem seu preço, e os que dela se deleitam, devem saber que o preço pode ser,
muito auto , muito auto ., muito auto .  
 
 
 
 
 
 
 

Compartilhar
kenedi correa lirio
28/04/2008