Site de Poesias

Menu

MENTIRAS

11/03/08                                                                                                                                11:38

Hoje eu precisei contar mentiras. Todas elas e fugir lentamente de braços abertos e alma limpa. Você doce e sutil ousou despejar palavras sobre mim, contar segredos, me revelar...
Seu caminho se fez difícil, mas o meu tampouco foi fácil.
Hoje as cartas foram jogadas e havia muito a se perder; palavras e perdões, anseios, paixões... Você sabe me ferir. Você sabe a dose certa, mas eu já vesti minha armadura.
Não devo me calar da dor!
Por um momento foi feito a escolha certa, mas as diferenças nos empurram para o precipício, está escuro e eu já não te vejo como antes. 
Onde foi que perdemos aquela chance?
Onde deixamos o pouco amor?
Na esquina, na rotina, num olhar?
Sim! Eu ousei contar meias mentiras... eu fui deus, fui diabo eu fui louca e santa. Eu me perdi em contos de fadas... eu mesma. "Minha doce garota o tempo não para, a vida não perdoa mais um erro, não desta vez."
Olho para seu rosto sujo e grito que não te quero mais, minto que serei mais feliz.
A primavera vem por ai e Bartok encarna num vinil empoeirado e ele é só meu por alguns instantes, mas minha loucura não me deixa pensar em mais nada além de sua sombra.
Escondo suas fotos, arranco seu cheiro de minha pele. Minto para o espelho que vou sobreviver e que ficarei bem distante.
Morro imediatamente!

Compartilhar

Suspeito

Carmen Locatelli
24/04/2008