Site de Poesias

Menu

“Pão, terra e liberdade”

“Pão, terra e liberdade”
Diz o cartaz colocado
Na estrada... ao lado
Por alguém que tem ficado
Como o cartaz, de lado
Sem ter caminhado
No que nos é traçado
Sendo sempre enganado
Sendo sempre explorado
E assim, marginalizado...
É um grito calado
Um choro magoado
Um sussurro velado
Pedido de um renegado
Que quer ser contemplado
Com o básico necessitado
Que quer ver num futuro melhorado
Seu sonho poder ser sonhado.

Compartilhar
Mena Moreira
10/02/2005