Site de Poesias

Menu

O espelho da solidão

O emaranhado de palavras
São o poema da nossa vida
O espelho na solidão de lavras
A ausência da vontade querida
 
Um passado que nem é para contar
E tudo o mais é transparente
Um futuro para quando o sol raiar
Como o desejo se torna eminente
 
Como o branco é alvura
O pensamento a razão atura
E se rende á compaixão
 
No acto de bem-querer
Dor e sacrifícios á que esquecer
É o espelho da solidão
 
Quim 10Mar08
José Joaquim Santos

Compartilhar
Jose Joaquim Santos
09/03/2008

  • 0 comentários
  • 180 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados