Site de Poesias

Menu

O Revelado Segredo

Sua voz embala a melodia
Cuja letra eu imaginava ainda criança
Quando o amor me era recordação
De um tempo distante da lembrança
 
Meu céu se abre e se fecha
Quando tu me tocas e se retiras
É assim tão sublime e maestral
Nosso encontro e despedida
 
Dos teus olhos eu vejo a mim
Uma menina trêmula e assustada
Por uma paixão que não se compõe
E não se orquestra, mas é tocada
 
Sim, seus olhos me deixam assim
Perdida nos meus a te ver
Nós dois juntos somos a poesia
Que mestres não ousaram escrever
 
Não há palavras nem gestos que expressem
Não há silêncios nem falas que revelem
Este segrego há muito tempo desvelado
Tão mal compreendido, renegado
 
Apenas você e eu o entendemos
Em meio ao ápice do amor e dos medos
Nas passagens pelo céu do desejo
Encontramos este caminho por inteiro

Compartilhar

Ao amor em sua mais ingênua forma! Recife 2006


29/02/2008