Site de Poesias

Menu

Solidão

 
Alguém lhe trouxe aqui?
Sei quês vem sozinha
Engana-me o tempo todo
Diz-me: eu sou um tolo
Acredito nas palavras, o que ela me faz.
Sou doido por mulher, homem ou rapaz.
Tenho confusão, minha cabeça parou.
Algo pra mim é simples decisão
Tomada pelo um beijo ou um aperto de mão
Sei quês vem sozinha
Nem precisa lhe chamar...
Sua cama estar fazia venha se deitar
Outro dia se alevanta
Cabeça tonta, de assustar.
Dá medo te ver assim
Cadê aquele sorriso, que você mostrava pra mim!
Tanto faz seu destino?
Pare! Olhe só aquele menino
Sentando ali na praça
Tanto algo a dar e só pedindo
Sei quês vem sozinha
Mas dessa vez, eu te chamei.
A morte é uma acaso, que eu amedrontei.
Tenho tanta coisa a lhe falar, pensei.
Seu eu dizer a ela, me libertei.
Mas se ela não gostar me enganei.
Outra vez.

Compartilhar

Atravessava um momento muito dificil na minha vida, deixei de amar alguém que para mim se tornou uma dadiva pra mim.

Glauber Miguel Prates
20/12/2007

  • 0 comentários
  • 212 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados