Teu olhar

Teu olhar

Amanheço, todos os dias, imaginando teu olhar.
O que teus olhos vão dizer, hoje, sobre nós?
Será que teu olhar, será o mesmo olhar, o meu olhar?
Por onde andará teu sentir, tua dor, tua felicidade, tua amizade, teu amor?
Por onde andará teu olhar?
Amor, na tua ausência, estou aqui.
No vazio de tua mente, estou a espera.
No teu retorno, estou sempre aqui.
Estou aqui, amor.
Como um dever de ofício, do ofício de amar.
Porque o amar, também, é um ofício,
Cotidiano, de transformar,
o mundo, eu, tu, o destino.
Posso pensar tudo, em todos os idiomas de amar.
Em todos os degraus, de todas as emoções.
Posso me perder.
Mas, antes, te salvar.
Dessa onda, desse mar.
Estou aqui, amor,
segurando tuas mãos.
Ao teu lado, estou, como um cão.
Estarei aqui, sem esperar monumento,  mesmo depois de tudo.
Cantarei a última canção, da noite,
esperando que teu amor seja perene, como a noite
e o dia.
No quiero hacer la undécima poesia.
No quiero la declaracion de los muertos.
La vida, siempre, en todos los sentidos.
Por todo los espacios de la vida.
La vida misma, por supuesto y por lo tanto,
encontrado en mi, en mi mismo, com todas las gotas y lágrimas.
Mi rostro no és suficiente.
Mi cuerpo no és suficiente.
yo no soy suficiente.
E de minha insuficiência, te espero.
Aguardo, aquele dia,
em que, libertada, dirás que me ama,
e que, agora, te trago paz, amor, tudo.
Porque, meu amor, o pior de tudo,
É te ver, assim, sem mim.
Não consigo aceitar.
Porque sou parte de ti, e nasci assim.
Peço desculpas, mas não aguento.
Vou assim, vivendo,
esperando,
a espera,
no aguardo,
quem sabe, um dia,
teu passo, seja meu passo,
e teu corpo, seja meu corpo,
e teu pensamento, seja muito mais que um raiar de sol,
em Copacabana,
em Punta de Leste,
Em Paris,
sempre estarei aqui.

Sobre meu amor, amada, e tudo que posso te dizer, sempre, por todos os dias, Soninha.

Bagé