Insolvências

Insolvências

Eu queria estar com você, quando você foi embora,
Eu queria estar com você, quando você voltou da praia,
Eu queria estar com você, quando tua barriga crescia,
Eu queria estar com você, em tantas noites mal dormidas.

Eu queria estar com você, se soubesse que podia.
Eu queria estar com você, quando tua voz foi abafada,
Eu queria estar com você, na chegada e na partida.
Eu queria estar com você, incondicionalmente com você.
Eu queria estar com você, em todos os teus silêncios encerrados na noite,
Encerrados nas palavras, nos rituais,
Nos teus gritos, na madrugada,
Como se os cantos, as frestas, da sala, espreitassem dentro da alma.
Anoitecer junto contigo.

Eu queria estar com você, para simplesmente te escutar,
Por mais estranho que fosse teu falar.
Abrir, contigo, a porta das palavras nunca ditas.
Eu queria estar contigo, estar lá, naquele momento mais preciso.
Eu queria estar com você, assim como você estaria comigo.
Por que, às vezes, não estou, não é mesmo?
Quando você mais precisa...
E eu nunca te disse...

Para o amor da minha vida, Soninha.

Agora como sempre
Com outro é que se obtém perícia:
Pois não é fácil alcançar
A porta das palavras nunca ditas.(Baquilides de Ceos)

“Mas quais são as palavras que nunca são ditas?”.(Legião Urbana - Quase Sem Querer)

Bagé/25 de novembro de 2007

Claudio Antunes Boucinha
© Todos os direitos reservados