Site de Poesias

Menu

Talvez

Talvez;
Em dias, choraste lágrimas de uma vida inteira,
E sentiste dores incomparáveis e sofreste desilusões inimagináveis.
Talvez;
De seus olhos rolaram lágrimas de sangue, e em sua alma abriram-se,
Feridas incuráveis.
Talvez;
Passaste noites em claro, sentindo a dor como se uma adaga estivesse,
Abrindo cada vez mais a ferida de sua alma.
Talvez;
Mediante a dor, gritaste o mais alto que pode, sem que ninguém a ouvisse,
E olhaste para sua imagem triste, e sentiste a dor da solidão.
Talvez;
Eu esteja falando besteiras, e na verdade nada disso sentiste, mas,
Se este não for o caso deixar-lhe-ei um recado.
Por mais forte, triste e angustiante sejam as lagrimas, as dores e a solidão,
Ao amanhecer elas desapareceram, pois mesmo após as mais tenebrosas tempestades o sol volta a brilhar com intensidade.

Compartilhar
Kellen Fortunato Fernandes
26/01/2005

  • 1 comentário
  • 64 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados