Site de Poesias

Menu

"PAREDES BRANCAS". (Soneto).

[Ilustração não carregada]

 

 

 
“PAREDES BRANCAS”.
             (Soneto).
 
A passos largos eu corria
Naquela campina verde,
Queria matar a sede...
Que há horas me consumia.
 
De longe eu vi as paredes
Que há muito tempo não via,
Quanta saudade eu sentia!
Saudade da minha lady...
 
Tardezinha o sol brilhava
Eu vi as paredes alvas...
Mais olhava, eu mais corria.
 
Queria matar a saudade
Que um dia com pouca idade,
Daquela casa eu despedia.
 

Compartilhar

São Paulo, 09/10/2007.

Antonio Hugo
10/10/2007