Site de Poesias

Menu

Comentários da Poesia "Despedida"

de Val Bomfim

Gostaria de deixar seu comentário?

Comentários

ATENÇÃO: Os comentários aqui registrados não representam a opinião da equipe do Site de Poesias, nem mesmo recebem o seu aval. A responsabilidade pelo conteúdo dos comentários é inteiramente do autor dos mesmos. Ao poeta é reservado o direito de remover os comentários de seus poemas, quando achar por bem fazê-lo.


Quisera eu transformar seus versos em realidade na minha vida!
Acabaria a minha insônia, o meu medo, as lágrimas, a desesperança e a descrença em mim mesma.
Feliz você que conseguiu!
Parabéns pela poesia!
Aparecida Marfori (poeta voluntária do site)

05/05/2008

No encontro com você mesmo , a despedida com o outro !...
E, pode acreditar, essa "despedida" , a sua com o outro, a sua com o sofrimento, só faz bem !... Tudo de bom ! Beijos .
Mena Moreira

02/10/2007

É isso aí Val. Mesmo numa luta desigual
tiveste força e motivação interior para dar
a volta por cima, É assim que tem que ser
sempre. Sucumbir jamais!!!
Parabéns mulher de fibra.
Abraços
Nando
Fernando Y. de Gusmão

04/09/2007

Parabens poetisa!
Muitas vezes o recolhimento para dentro de nossa alma é tudo que precisamos.
O silêncio nos revela segredos que a ninguém revelaria!
Expressivo e belo seu poema!

Meu carinho!
V.S

Cantas o desengano e as farpas sentidas da vida de forma bela, e tomara, serem elas "despedidas" preteridas, postergadas nos labirintos da existência. É engraçado, pareceu-me ter esse poema saido de minha entranhas.
Parece comigo rsrsrsrsr

Tá lindo, belo.

Parabéns minha cara
jeo

02/09/2007

Olá Val! Que belo encontro este teu, contigo mesmo! Te completaste e agora prevalece o teu eu mais profundo. Comece por amar a ti mesmo em primeiro lugar.

Muita paz!
ubirajara

02/09/2007

Val, é muito melhor ter o silêncio
como alento do que uma vida de lutas,
inquietações, amores incompreendidos,
ansiedades e temores.
O silêncio recarrega baterias e aclara a mente.
"Sem o silêncio a alma fica pequena"

Beijos,
Marcos
Marcos

02/09/2007

Voltar à poesia