Site de Poesias

Menu

DESCONJURAÇÃO!

Desconjuro o dia!
Em que meu ancestral.
Meu Ta-ta-ta-ta-taravô.
Bento Teixeira Pinto.
Resolveu por ironia do destino.
Pisar nesta terra de João Ninguém.
Sou seu descendente e não minto.
Esta nação maltratou.
Os seus filhos.
E o seu descente também.


Melhor seria nunca.
Ter vindo para esta terra.
Onde se vê tanto mal.
Em que as leis são feitas.
Para roubar o povo.
Aparecem estampadas em jornal.
País de desigualdade sem igual.
Então eu teria nascido.
Viveria em outro mundo.
Morreria em Portugal.


Óh Céus, Ilha estacionária de Havona.
Vinde, descei nesta terra bendita.
Que por suas leis.
Para oprimir o povo.
Torna-se maldita.
Por culpa de quem as faz..
Não é necessário repetir de novo.
Todas as angústias deste povo.
Que pelo malogro de um voto.
Vivem como bôbos da côrte.


Óh Conselho Kármico Estelar.
Meus Irmãos Conselheiros das Estrelas.
Que vosso Membro do Conselho.
Quisestes me Formar.
Que o Karma de todos os povos.
De cima estás à julgar.
Entro em Vossa Presença.
E Decreto esta Sentença!
Aqueles que roubam e iludem o povo.
Por este Karma que causaram terão que pagar!

VALDIR PINTO!

DESCONJURAÇÃO

Desconjuro the day!
In my ancestral.
My Ta-ta-ta-ta-taravô.
Bento Teixeira Pinto.
Decided in an ironic twist of fate.
Pisar in this land of John Nobody.
I am his descendant, not minto.
This nation maltratou.
Their children.
And your descente too.


Better would be never.
Having come to this earth.
Where you see both wrong.
In that laws are made.
To steal the people.
Appear estampadas in newspaper.
Country of inequality unparalleled.
Then I was born.
Viveria in another world.
Morreria in Portugal.


Óh Heaven, stationary Isle of Havona.
Come, descei this blessed land.
Which by its laws.
To oppress the people.
It is maldita.
It is the fault of who ...
It is not necessary to repeat again.
All the anguish of this nation.
What the failure of a vote.
They live as bôbos of côrte.


Óh Council Kármico Estelar.
My brothers Advisers of stars.
Your State Council.
Would I train.
That the Karma of all peoples.
From top to judge you.
Entro in your presence.
And this Decree Sentence!
Those who steal and iludem the people.
By Karma that caused this have to pay!

VALDIR PINTO!

Compartilhar

NESTA POESIA O POETA LAMENTA A IRONIA DO DESTINO DE SEU ANCESTRAL TER VINDO PARA O BRASIL EM 1511 E DESEJARIA TER NASCIDO EM PORTUGAL E EVOCA AS FORÇAS CÓSMICAS DA ILHA ESTACIONÁRIA DE HAVONA O PARAÍSO SAGRADO. E TAMBÉM O CONSELHO KÁRMICO ESTELAR E SEUS IRMÃOS ESTELARES PARA JULGAREM O KARMA QUE NAÇÃO BRASILEIRA ESTÁ PASSANDO.


THIS POESIA The POETA LAMENTA The IRONIA OF DESTINATION FOR YOUR ANCESTRAL TER VINDO TO BRAZIL IN 1511 AND DESEJARIA GET BORN IN PORTUGAL AND EVOCA THE FORCES CÓSMICAS OF ISLAND ESTACIONÁRIA OF HAVONA The PARAÍSO SAGRADO. AND ALSO THE COUNCIL KÁRMICO ESTELAR AND THEIR BROTHERS ESTELARES FOR JULGAREM The KARMA THAT NAÇÃO BRAZILIAN IS PASSANDO. São Paulo-SP.

Valdir Pinto
27/08/2007