Site de Poesias

Menu

Comentários da Poesia "Reuniversos"

de Engenheiro Italiano

Gostaria de deixar seu comentário?

Comentários

ATENÇÃO: Os comentários aqui registrados não representam a opinião da equipe do Site de Poesias, nem mesmo recebem o seu aval. A responsabilidade pelo conteúdo dos comentários é inteiramente do autor dos mesmos. Ao poeta é reservado o direito de remover os comentários de seus poemas, quando achar por bem fazê-lo.

Qual destas instâncias, qual destas infinitas poesias, qual das vaidades cabe melhor ao ego dum escritor que põe gotas de tintas misturadas com sentimentos num papel?
Qual dos universos que a física quântica ainda não descobriu, estão entre os seus versos? A qual destas explosões pertence a sua erupção? Quantos destes sentimentos são de seu coração? Qual das verdades é a menos falaciosa, e qual das filosofias é a mais presunçosa?
Há poesias dentro de poesias, assim como há poetas dentro de poetas, colidindo no vácuo do não existir ao substancial conhecido, mas que cria um Big Bang e tua evolução cronológica nos leva para a perfeição da poesia "Reuniversos" do saudoso Engenheiro Italiano.
Rodrigo Ferreira Magalhães
13/08/2007


Menino sua poesia me arrepia do princípio ao fim,parece que um anjo toca em mim!
Lindo Seu olhar,é como quem descreve a própria alma,acho q você tem um poder sobrenatural!
Parabéns!
Bejss
S.S.
Sonia Santos

07/09/2007

Engenheiro, li mais duas vezes, é...
Então...
Estes teus poetas, que falaram esta poesia em seus ouvidos, foram muito bem!
A sua poesia muda de tom a cada dia, e vai ficando com o brilho cada vez mais forte!
De coração parabéns.

Em "Reuniversos" a demonstração fiel da alma poética, essas labaredas tenras e calóricas que enche os olhos de qualquer sensibilizador de um belo poema!
e surpreendentemente ainda quando seu codinome me traz recordações nostálgicas de uma paixão antiga por um engenheiro de descendencia italo-brasileira!
Mas sem palavra a perfeição da essência poética!

Meus parabéns

NANDA
Fernanda Cesa

15/08/2007

Em qualquer instância, em estância qualquer, ressoa o verbo que o verso, de tanto que anseia, é.

É brilhante!
Parabéns!

E o que deve ter rendido esse "paradelos"...
Amanda Neves

14/08/2007

E se incontáveis poetas de mim se originam a cada instante, suas prováveis instâncias imaginam seus versos mutantes em minhas mentes cada vez mais distantes (de várias distâncias!), embora congruentes. Por aqui afora a rima se multiplica sem fim...

COLOQUEI AQUI NOVAMENTE PARA VOCÊ LER E TER NOÇÃO DO QUE OS SEUS POETAS ESCREVEM...RS

É RODRIGO VOCÊ FOI MUITO BEM EM TUDO QUE FALOU!
E O ENGENHEIRO FOI SHOW DE BOLA NO MARACANÃ. FLA X FLU LOTADO!

É ASSIM QUE A POESIA UNE VERSOS PARALELOS...
É ASSIM QUE O POETA SE ORIGINA, SE MELHORA, SE EXPRIME, VIVENDO NO DIA A DIA O CONTEXTO DO AMOR!
SOMOS NÓS NO DIA A DIA APRENDENDO A CONCEDER AO UNIVERSO DE TODO O VERSO A AMPLITUDE DO OLHAR FLEXÍVEL...

EU SIMPLESMENTE AMEI.

VALEU! É GOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL!!!!!

Não canso de ler seus versos!

Versos que simplesmente falam sobre física quântica, sobre metafilosofia, sobre poesia!!!

Tudo o que um bom apreciador da ciência cósmica e da poesia, admira, sem contar a qualidade de suas rimas e a métrica das suas palavras, mas a sensibilidade ímpar deste poeta incrível, o faz tornar meu ídolo!
Rodrigo Ferreira Santos

13/08/2007

Voltar à poesia