Site de Poesias

Menu

eu amo o amor

 
Eu amo o amor.


Sinto no meu peito uma ânsia quase doente
Ofegando em mim sua dor ascendente
Transformando-me com o teu jeito impertinente
Possuindo o meu corpo inteiro com os teus dentes.


O fato é que eu amo o inesperado
Eu consumo o inconsumível
Afago o inefável
E asseguro o insegurável.


Sinto no meu peito o calor desta ânsia ardente
Rejeitando todos os suspiros de meu corpo
Superando as minhas razões insanas e ausentes
Ao transpor o teu ilógico mundo louco.


O fato é que não posso sentir o insensível
E nem posso vencer o invencível
Pois quem me dera poder dizer a dor
Que o que eu gosto mesmo é amar o amor.


Agora posso sentir o calor do teu semblante
Posso sentir o frio que desola o meu coração
Mas, se esquece de tuas palavras neste instante
Os meu dizeres serão a sua recordação.

Compartilhar
Fábio Avanzi
20/06/2007

  • 0 comentários
  • 159 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados