Site de Poesias

Menu

A DOR DE UMA ÁRVORE!

[Ilustração não carregada]


A dor de uma árvore!

É a mesma dor de um cão!

A mesma dor que.

Os humanos sentem no coração!

A dor de uma árvore.

É a mesma dor.

De um mudo que.

Gostaria de ter voz!

Para poder um dia.

Cantar uma bela canção!

 

 

A dor que uma árvore sente.

Quando alguém quebra-lhe.

Um dos seus galhos malvadamente.

É a mesma dor dos humanos.

Que são mundanos!

Que são profanos!

Quando quebram um braço.

Ou quando quebram uma perna.

Também quando extraem.

Alguns dos seus dentes.

 

 

Mesmo sendo descrente.

Desumano e profano!

Se assim não estás contente!

Olhe para a árvore.

Que você um dia quebrou!

De novo Brotou!

Mas e você, eu pergunto!

A perna e o braço.

Que você amputou?

Será que Brotou?

 

 

VALDIR PINTO


 

THE PAIN OF A ÁRVORE!

The pain of a tree.

It is the same pain.

From a change that.

I would like to have a voice!

To one day.

Cantar a beautiful song!

The pain that a tree feels.

When someone breaks it.

One of its branches malvadamente.

 

 

It is the same pain of mankind.

What are worldly!

What are profanos!

When you break an arm.

Or when they break a leg.

Also when meteors.

Some of their teeth.

While descrente.

Desumano and profane!

If they are not happy!

 

 

Look at the tree.

What you one day broke!

Again Brotou!

But you and.

I wonder!

The leg and arm.

What you amputou?

Does Brotou?


VALDIR PINTO!

Compartilhar

Esta poesia foi escrita no Jardim Ana Maria em Santo André! Dedicada à Uma Árvore da Praça! Devido as violências dos vândalos que a depredaram! Dedicada também aos Vândalos que à Depredaram!


This poetry was written in the Garden Ana Maria in Santo André! Dedicated to the One Tree Square! Because of the violence vandals that depredaram! Dedicated to the Vândalos that the Depredaram! Jd Ana Maria- Santo Andr

Valdir Pinto
16/05/2007