Site de Poesias

Menu

PROJETO JARI

Jari coitado de ti.
Pois tenho medo.
Por que desde a época.
De João Figueiredo.
Foi-lhe entregue aos dedos.
Dos Usurpadores lá de fora.
Que destruiram sua fauna.
Que destruiram sua Flóra.
E desde aqueles tempos de outrora.
Ninguém se importa contigo agora.


Até a Transamazônica.
Que na época dele.
Era anunciada como.
Uma obra grandiosa Faraônica.
Está abandonada na Selva.
Depois de tantos anos.
Com tantos enganos.
Ficou no coração dos brasileiros.
Uma dívida lacônica.
Por que entregar nossas Riquezas aos estrangeiros?


Também nossas Riquezas Vegetais.
Sem dizer nossos animais.
A cada dia que passa.
Perdem seu espaço de Relva.
Até mesmo o Batalhão.
De Infantaria da Selva.
Corre o Risco de Extinção.
Nossas Frutas da Mata.
Já foram roubadas.
Em outros países patenteada e industrializada.


Em dois mil e hum.
Estive lá só que.
Não deu pra aguentar.
Não teve nenhum jeito.
Me deu uma dor no peito.
Me deu uma dor no coração.
Ver tanta destruição.
Como um zumbido de abelhas.
O exército de motos-serras.
Fazendo destruição e devastação.

VALDIR PINTO.

PROJECT JARI


Jari coitado of you.
Because I fear.
Why since the season.
John De Figueiredo.
It was delivered to the fingers.
Of Usurpadores there out.
What destroyed its fauna.
What destroyed his Flóra.
And since those times of mind.
Nobody cares you now.


Until the Transamazon.
What it at the time.
It was advertised as.
A work grandiose Faraônica.
It abandoned in the Jungle.
After so many years.
With so many mistakes.
It was in the hearts of Brazilians.
A debt lacônica.
Why surrender our Riquezas to foreigners?


Also our Riquezas Plant.
Without saying our animals.
Every day that passes.
Perdem their area of Grass.
Even the Battalion.
From the Jungle Infantry.
Run the Risk of Extinction.
Our Fruit of the Mata.
Have been stolen.
In other countries patented and industrialized.


In two thousand and hum.
I was there only that.
There has now endure.
There was no way.
Me gave a pain in the chest.
Me gave a pain in the heart.
See so much destruction.
As a hum of bees.
The army of motorcycle-saws.
Making destruction and devastation.

VALDIR PINTO.

Compartilhar

Esta Poesia veio-me Inspiração Lembrando-me da Amazônia! Com toda sua Devastação que Vem acontecendo! Em 2001 estive no Pará, Amazonas, Amapá e Roraima passando por Porto Velho em Rondônia. O Cenário é muito Lindo muito exuberante, mas eu penso será que algum dia vou poder passar pelo mesmo local e ver o cenário Boinito Exuberante com a mesma natureza que eu contemplei outrora?


This Poetry came to me Inspiration recalls me of the Amazon! With all its Devastação that Comes happening! In 2001 was in Pará, Amazonas, Amapa and Roraima through Porto Velho in Rondonia. The scenario is very Lindo very exuberant, but I think that one day I will be able to go the same place and see the scenario Boinito Exuberante with the same kind that I contemplei once? Jd. Ana Maria. Santo André- SP.

Valdir Pinto
07/05/2007