Site de Poesias

Menu

NASCE UM PAÍS

Presente a nobreza de Portugal,
A mais bem armada esquadra do ano
Partiu sob o comando de Cabral,
Em busca do outro lado do oceano.

Num vasto paraíso natural,
Um povo forte, feliz e gentil
Ali vivia livre, onde afinal
Seria então descoberto o Brasil.

Era o saber da Europa, a cultura,
Vindo a um eco-sistema se juntar,
Onde habitava um povo de alma pura,
Que também tinha muito a ensinar.

Mas a idade do ferro e a ciência,
Vinham infelizmente acompanhadas
Da cobiça e, pior, da violência
De usar populações escravizadas.

Do grande mal no entanto um bem ficou:
Cultura de outro povo importamos
E com peso de ouro se pagou,
O valor africano que herdamos.

É gigantesca a real extensão,
Muito maior do que a que era antes,
Da terra conquistada pela ação
Corajosa e firme dos bandeirantes.

Tamoios, Palmares, por liberdade,
Felipe dos Santos e Tiradentes,
Domingos Martins, à posteridade,
Legaram lições de heróis conscientes.

Após a vinda do rei D. João,
Foi que o Brasil se tornou um país,
No mundo visto como uma nação,
Como a coroa portuguesa o quis.

Nossa independência foi alcançada
Só quando D. Pedro a corte enfrentou.
Ao Brasil dedicando sua espada,
Na margem do Ipiranga a proclamou.

A completa integração nacional,
Agregando grupos e cercanias,
Foi passo a passo, meta colossal,
Alcançada pelo grande Caxias.

Compartilhar

Rio de Janeiro

Creusmar Pereira de Almeida
31/12/2004