Site de Poesias

Menu

DESENGANOS

Ela foi sempre a razão da minha vida:
A mulher que eu sonhei ter ao meu lado
Entendia a minha parte incompreendida
E completava o vazio em mim deixado

Por um alguém que só soube causar dor
No meu peito; o desamor d’outra mulher
Que me fez, por extensão, um sofredor
E descrente do amor de outra qualquer!

Mesmo assim, eu escutei meu coração,
Concedendo-lhe outra chance amorosa
Mas, falhei, falou alto a voz da razão:

Mais uma vez a triste sina, impiedosa,
Como uma flecha trespassou o coração,
E eu amarguei mais uma cena dolorosa!

Autor: José Rosendo

Compartilhar

Nazarezinho, 20 de outubro de 2006


20/10/2006