Site de Poesias

Menu

Ao Senhor das armas

[Ilustração não carregada]

Talvez achem cruel amar e não ser amado
Pior saber que me agonizo por futilidade
mas é quando olho pra cima emburrado
e me deparo com o cumulo da maldade

Talvez pensei que ao olhar pra cima veria o céu azul
mas a decepção me ocorre vendo estrelas caindo
e pequeninos adultos correndo, fugindo
as vezes sem caminhos, sem norte nem sul

Talvez acreditem que por isso não haja o Senhor
mas é olhando nos olhos das mesmas crianças
que julguei sem futuro no meio desse terror
que vejo a esperança de um mundo sem armas

Senhor, lhe falo pelos milhões de mudos
Vitimas de nossa própria maldade
Eles não sabem o que fazem, estão perdidos
Senhor das armas da paz salve a humanidade.

Compartilhar

A humanidade não tem mais solução ?!
a crueldade do homem não tem limite ?!
será que alguem pode nos salvar ?!?!
O SENHOR PODE. Computador

Arthur Verona Fontes
03/09/2006