Site de Poesias

Menu

"BRINCANDO DE AMARELINHA"

Brincando de amarelinha
pula aqui, pula acolá,
brinquedo das menininhas
que me expulsavam de lá.

Eu fui brincar de peteca
também de lá me expulsaram,
era um guri muito dapeca
tanto fiz que me aceitaram.

Eu só queria namorar
com uma daquelas gurias,
mas com vergonha de falar
quem eu queria não sabia.

Vejam vocês o molequinho
que sem vergonha eu era,
quando usava um espelhinho
pra ver as calcinhas delas.

Escondia-me num canto
dizendo que não fiz nada,
jurava por todos os santos
que não fiz a coisa errada.

Às vezes me pego sorrindo
das travessuras que fiz,
travessuras de menino
mas era um guri feliz.

Compartilhar

São Paulo, Agosto de 2006.

Antonio Hugo
21/08/2006