Quem não te lê, Peka...

Quando programa as palavras de seu verso,

seus autos, de roda e de céu,

altos sons, sonetos de mel,

com meu poema converso!

 

É ainda generoso no inverso,

dando site de poesias para o meu papel

agradeço seu insight, nesta vida de fel,

fazendo “simbiose” no bite-universo.


Guilherme dos Anjos Nascimento

 

Uma homenagem a Ederson Peka
Guilherme dos Anjos Nascimento
© Todos os direitos reservados