Se eu fosse poesia


Se eu fosse poesia, como seria minha alma?
Seria um misto de paz, seria um mundo de calma?
Se eu fosse um só poema,
Que poema então seria?
Versaria sobre as flores?
Ou do raiar de outro dia?

Ou falaria da guerra, talvez falasse da fome?
Descreveria a miséria, ou falaria do homem?
Que se diz imagem de Deus, mas usa a fé para o engodo,
Que se diz mensageiro de luz,  mas está sujo do lodo!
Lodo que infesta a vida, que suja  o coração,
Lodo que  empobrece, até a mais pura oração.

Ah! Se eu fosse poesia, criaria a ilusão,
De que a luz  algum dia, venceria a escuridão.
E que a humanidade, acima de toda a crença,
Seguiria de mãos dadas, venceria todas doenças,
Mesmo as que matam a vida, mais do que matam o ser,
Mesmo as que matam a esperança, que qualquer um possa ter.

Só a poesia nos leva, além da imaginação.
Só mesmo pela poesia, encontro a motivação,
De sonhar um mundo novo, feito de realidade,
Um mundo onde o amor, seja a mais limpa verdade.

JRUnder
© Todos os direitos reservados