P-O-E-T-A

P-O-E-T-A

'Poeta'...
É como respondo quando me perguntam quem sou, o que sou
O que quero e faço da vida!
POESIA...
Eu ando fazendo, escrevendo, falando, recitando, sonhando(acordado)!
Poesia é o meu gênero, minha religião, vício, 'estado civil', ocupação, 'preocupação'!
De ser, a razão, não sei a razão... de ser poeta faço questão!
Se me perguntam, se querem saber, ler, visualizar, 'curtir'!
'Poético'... respondo se me perguntam como estou!
Ao êxtase... se me perguntam onde vou!
Com poesia dou forma de verso ou simplesmente escrevo
Tentando expressar, exprimir ou fazer arte do que sinto, vejo, vi, vivi, vivo, 'venci'
Ou gostaria de ver e viver!
Me revejo como a criança que nunca deixei de ser entre meus sonhos, coisas e amores de criança
Minhas coleguinhas ninfas 'saltadoras de elástico' com aquelas sainhas colegiais e 'ginasiais' já 'extintas',
Mas que ainda preservo em minhas 'satíricas picardias'! 
Poeta de nascença, apaixonado a todo instante, louco, pelas maledicências, e feliz por opção! 
Canto as belezas desse mundo e até posso 'pensar no caso' de suas feiuras que tão fundamentais lhe parecem! 
Poesia que me dá todo esse lindo trabalho mesmo parecendo 'coisa pra desocupado'
Como essas mulheres alheias e despreocupadas que só de babydoll surgem em seus portões!
A verve age em meu cérebro e glândulas hormonais até preencher o papel, ganhar a rede e o ar que contamina de amor!
Os versos que são despejados de um peito aberto e vêm de uma inspiração que emana junto a transpiração!
'Bardus Poetikus' sem aqueles grilhões clássicos e sob a 'Lei do Verso Livre'!
Musas com borogodó pra dar e vender... as mais difíceis que me tornam 'apicultor' de seu mel
E as que nem merecem o trabalho, tão imperfeitas e lindas como as 'emendas melhores que os sonetos'
Onde também cismo de me aventurar!
'Poeta' é como tá registrado naquela pedra no caminho e escrito nas estrelas!
É como podem me apelidar, elogiar, tentar me definir, intitular... rimador, 'poeteiro', 'escrevedor', 
Beletrista, literato pra resumir, 'poetinha' pra reduzir, mas não sei se ainda explicaria! 
Um passatempo, uma ideia, algumas palavras, o papel, a caneta, uma pluma, um ofício, seus ossos,
Carne, verbo, a obra!
O que discorro, digito, redijo, dirijo, despejo desse peito sobre algum seio!
Poeta... eu me classifico, proclamo, 'declamo', me 'tacham', me coroo e me afirmo...
Tento convencer, me convenço, mas humildemente me apresento na forma desses versos!

MAIS DE MIM EM:
https://gustavoreymond.blogspot.com/

DAN GUSTAVO
© Todos os direitos reservados