Insônia

Insônia                   ( sempre Luiz )


A noite desperta,
curiosa espiona nosso quarto.
Repouso meu cansaço nos lençóis do tempo
e abro as portas do meu coração,
à sua espera.
A lua aplaude sua chegada sorrindo,
quando me jogo em seus braços.
Posso ouvir o pulsar do seu coração,
sentir o calor do seu olhar,
a força do seu abraço.
Um doce beijo silencia minha voz,
calando tanta coisa que ficou por dizer,
mas meus desejos,
gritam.
Suas mãos deslizam sobre minha pele,
advinham minha pressa de te amar.
Nossos corpos conversam,
se rendem à paixão.
O tempo anuncia sua partida e você se distancia vagarosamente,
fazendo promessas que nunca serão cumpridas.
Nosso quarto vazio suspira sua ausência
e adormece deixando-me só com a minha insônia.

Maria Isabel Sartorio Santos
Ail Itanhaém

Maria Isabel Sartorio Santos
© Todos os direitos reservados