Alegorias

A poesia grudou no céu da minha boca,
na minha língua solta,nos meus lábios secos.
Ai de ti!Não me olhes!
Não me beijes!
Ou te tornarás um verso avesso,
o espelho de minh’alma inversa,
nas estrofes tortas de teu corpo travesso,
que se atravessa,que se arremessa sem pressa,
refletido em mim.
Em mim.

Penha, Santa Catarina

Tereza Du\'Zai
© Todos os direitos reservados