Idílio

Vá pensamento, bata asas e voe

Qual águia soberba, domine o ar.

E bem alto, planando, por sobre estes montes,

Vença o tempo, conquiste horizontes.

Leve-me aos braços de quem eu mais quero,

Cultuo e espero, na ânsia de amar.

 

Vá pensamento, qual nau que à deriva

Se perca no mar de tormentas do amor.

Balance nas ondas da minha saudade

Faça-me escravo de sua vontade,

Mas diga que posso ficar junto dela,

Sentir seu perfume, tocar sua pele

E qual sua sombra, estar sempre onde for.

 

Vá pensamento, castigue esse dorso

Igual à chibata, me sangre em desejos.

Estampe estas marcas de dor em minh'alma,

Que meu coração, quase inerte se acalma,

E assim semi louco, em fúria tamanha,

Não rasgue os céus ou remova montanhas,

Mas morra de amar na prisão dos seus beijos..

Jrunder
© Todos os direitos reservados