Boemia Mecânica

Tomo um gole do nectar
Dou risadas na roda
Como algum tira gosto
Ouço a música que vem da máquina

Alguém me pede um trocado
Um cara dança na calçada
Outro cai sobre a mesa
E um sujeito me vende uma caneca

A vida vai noite a dentro
Eu vejo um linda mulher
Sua pele é como a neve
Seu cabelo se confunde com a noite

A gente bate um papo
Eu pago uma bebida
Ela entra no meu carro
A estrada vazia não ouve nossas confissões

A cama fica bagunçada
E o batom marcado no lençol
Ela me pede pra ficar
"Tenho que ir, as seis vou trabalhar."

Julio Garcez
© Todos os direitos reservados