MEU ICARO

MEU ICARO

MEU ÍCARO

 

 O meu amor tem asas de cêra

E se derrete a cada vôo

Suicida em minha beira

 

O meu amor

Tem alma de poeta louco

Me enxerga com seus dedos grossos

E me ouve

com ouvidos moucos

 

O meu amor é poeta controverso

De um jeito puro e gentil

Amo mais do que confesso

E uma boca

Que puta que o pariu...

 

O meu amor é quase sério

E eu rindo

Sou quase atoa

Eu apronto em multiverso

Ele ao inverso

Me perdoa

 

Ele quer voar baixinho

E eu sou bicho de vôo alto

Eu o levo em minhas asas

O empurro e depois eu salto

 

Eu empresto minhas asas

E ele teima em subir

Se agarra na minha saia

Com garras

Pra não cair...

(IVANA DE SÁ NASCIMENTO)


Minhas Asas

 
O meu amor tem asas, é linda,

E voos altos e felizes

Eu, sou arvore, tenho raízes,

Vivo preso a terra ainda

 

Meu amor contempla as alturas

Olha o mundo  de cima,

Canta canções e faz rimas

E tantas outras loucuras

 

Tem as garras afiadas

Um bico, boca, feita pra matar

Que ferem a minha carne no jantar

Quando me empresta as suas asas

 

E sobre o corpo dela, subo a esmo e ao leu

Cego pelos seus olhos em brasas,

E é só levado por suas asas

Que eu chego perto do céu.

 

O meu amor é veloz como um raio

É uma feroz predadora

Quando me vê me devora

Mas, com ela, eu voo e não caio.

(BRUNO)

BRUNO
© Todos os direitos reservados