Se tens que ir...

 Sou uma cigana de alma marcada

 Meu destino foi traçado em vidas passadas

 E me trouxe você

 Mas se tens que ir,  vai e não olhes para trás.

 Leva contigo todas as lembranças, as nossas juras de amor

 E todo nosso querer.

 Leva também um pouco do meu sorriso e do meu olhar

Para que nunca te esqueças do quanto fomos felizes

Mas não te esqueças também de levar toda essa minha dor

 Se  tens que ir... Vai

 Entre nós não pode haver despedidas

 Tu bem sabes que em nossos destinos está escrito

 Que ainda vamos nos reencontrar.

 Ficarei aqui olhando o luar

 Lembre-se do nosso amor

 O mesmo amor que nunca nos abandonou

 Nós ainda o temos!

 E ele viverá em minha alma e na tua

 Não me esqueças jamais e

 por onde andares deixe teus rastros pelo caminho

 Com pétalas de rosas vermelhas

 Para que eu ao menos  saiba onde anda meu coração.

 

 Neide A. M. de Oliveira

(Cigana)

Direitos Autorais nº 439.939

Neide de Oliveira (Cigana)
© Todos os direitos reservados