De gota em gota

Fui te perdendo, sem sua própria censura,

Na sua sede pela carne, corpo em gota-coral,

Não sobrou uma gota do que me era real

Tanto me bate, que machuca e perfura.

 

A gota d’água: a falta de consideração,

A conta-gotas, trivial e a toda hora.

Com a gota-serena, se afoga e transborda,

Nas gotas do meu rosto, eu lavo as minhas mãos.

Guilherme dos Anjos Nascimento

Guilherme dos Anjos Nascimento
© Todos os direitos reservados