Meu motivo

Meu motivo

Meu motivo, meu Deus, pra te querer
Não é o céu que me foi prometido;
Nem é também o inferno tão temido
Que me faz desejar não te ofender.

Meu motivo, Senhor, é olhar você
Cravado nessa cruz e escarnecido.
Meu motivo, em seu corpo tão ferido,
É o suor de agonia ver correr.

O amor, meu coração não negocia:
Se não houvesse céu, eu te amaria,
E eu temeria mesmo sem inferno.

Pra te querer não peço nada em troca,
Pois se eu não esperasse o que eu espero
Te quereria, sim, da mesma forma.

Simplificação do belíssimo "Não me move, meu Deus, para querer-te", de Santa Teresa de Jesus:
https://blogdospoetas.com...

(O original é infinitamente superior, claro. Não deixe de lê-lo. Este é só um convite pra quem eventualmente tiver dificuldades com a linguagem rebuscada.)

Imagem: "The Crowning with Thorns", de Michelangelo Merisi (conhecido como Caravaggio)
https://artsandculture.go...