Multiversos

Tantas cabeças, tantos pensamentos, tantos universos,
camadas sem fim de pensamentos incertos,
onde o exato e o matemático são desconexos,
Onde cada gota de sentimento, cria novos multiversos.

Simulações, probabilidades e vontades,
nesta interna brincadeira de ser Ele,
colocamos para fora nossa puras singularidades,
envoltas ou não em singelas maldades.

Talvez um dia a física quântica possa explicar,
o motivo de todo o multiverso meu, pedir por te amar,
onde todas as ondas de tempo querem parar,
para que nunca mais eu perca um momento do seu olhar.

E se Ele assim quiser abençoar,
e colocar algum desses universos em seu altar,
que seja onde meu coração irá se alegrar,
pois do seu lado, em todos estes milhares de universos, é onde quero estar.

Jonathan Cunha
© Todos os direitos reservados